MODELO DE GESTÃO DE EGRESSOS PARA AS FACULDADES INTEGRADAS PROMOVE DE BRASÍLIA: UM ESTUDO DE CASO

Luciane Teixeira de Souza

Resumo


As demandas atuais na prestação de serviços de educação exigem que as Instituições de Ensino Superior apresentem critérios de gestão bem definidos. Neste contexto, o presente estudo tem por objetivo desenvolver um modelo de gestão de egressos aplicável às Faculdades Integradas Promove de Brasília. Foi realizado um levantamento de dados por meio de pesquisa bibliográfica gerando um Modelo de Gestão com instrumentos de execução para cada uma de suas etapas. Em seguida, um Grupo de Trabalho (GT) formado por alunos egressos avaliou o modelo elaborado com base em sua realidade acadêmica. Os resultados demonstraram que a implantação de um modelo de gestão de egressos é de suma importância para a realidade da IES, e que as proposições da teoria e modelos de gestão já aplicados em outras instituições pesquisadas refletem a realidade do ambiente deste estudo. Por fim, observou-se que a implantação de um modelo de gestão de egressos proporciona a IES uma interação contínua com seu alunado.

 

Palavras-chaves: Gestão de Pessoas. Egressos. Instituição de Ensino Superior.


Palavras-chave


Gestão de Pessoas. Egressos. Instituição de Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, F. J. B. de; PUENTE-PALACIOS, K. E. Grupos e equipes de trabalho nas organizações. Disponível em: http://tupi.fisica.ufmg.br/michel/docs/ Artigos_e_textos/Trabalho_em_equipe/003%20-%20Grupos%20e%20equipes%20 de% 20trabalho%20nas%20organiza%E7%F5es.pdf. Acesso em: 10/09/2014.

AURÉLIO. Dicionário da Língua Portuguesa. Ed. Positivo. 2008.

BERGAMO, F. V. de M; GIULIANI, A. C. A Lealdade no Contexto do Mercado da Educação Superior. Anais do VII Coloquio Internacional sobre Gestion Universitaria em America Del Sur: mobilidad, governabilidad e Integración Regional. Mar Del Plata. 2007.

BRANQUINHO, N. C. S. da S. Satisfação dos egressos do curso de graduação em enfermagem de uma universidade pública. Dissertação de Mestrado. UFGo. GOIÂNIA, 2012.

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

FPNQ. Primeiros passos para a excelência. Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade: Gestão de Processos. Versão Impressa. 2003.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. Atlas. 4ª Ed. São Paulo. 2002.

GOMES, E. L.; DIAS, E. J; AMARAL, G. D. G.; CORREGOZINHO, M. F.; RODRIGUES, P. Diagnóstico organizacional. Belo Horizonte. 2007.

JESUS, F. de. Análise do processo de formação de recursos humanos na Função Pública – O Caso do Ministério das Obras Públicas e Habitação; 1999-2004. Maputo. 2010.

KELLER, KELVIN LANE; KOTLER, PHILIP. Administração de Marketing. 12. ed. São Paulo: Prentice Hall Brasil, 2006.

LOUSADA, A. C. Z.; MARTINS, G. de A. Egressos como fonte de informação à gestão dos cursos de Ciências Contábeis. Revista Controle Financeiro. – USP, São Paulo, n. 37, p. 73 – 84. 2005.

MAIOCHI, A. C.; BORTOLETTO, M. L. Ensino Superior no Brasil. 2013. Disponível em: http://www.faj.br/Egresso.aspx. Acesso em: 07/09/2014.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo. Atlás. 7ªed. 2010.

MORESI, E. (org.). Metodologia da Pesquisa. Versão Impressa.UCB. 2003.

NEWMAN, W. H.; LOGAN, J. P. Strategy, policy and central management. Cincinatti: South-Western Publishing, 1971.

PENA, Mônica Diniz Carneiro. Acompanhamento de egressos: análise conceitual e sua aplicação no âmbito educacional brasileiro. 2000. Disponível em: http://www.joinville.ifsc.edu.br/~alexsandra/Artigo%20Monica%20DIniz.pdf. Acesso em: 06/09/2014.

PROMOVE/DF. Plano de Desenvolvimento Institucional. Versão Impressa. 2014.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf. Acesso em: 13/09/2014.

SACHUK, M. I. A Motivação e o Processo de Indução dos Indivíduos na Organização. São Paulo: EAESP/FGV, p 239 1998. (Tese de Doutorado apresentada ao Curso de Pós-Graduação da FGV/EAESP, área de concentração em Organização, Recursos Humanos e Planejamento, com domínio conexo em Marketing).

SINAES. Bases para uma nova proposta de avaliação da Educação Superior. 2003. Disponível em: http://www.unifesp.br/reitoria/orgaos/comissoes/avaliacao/ sinaes.pdf. Acesso em: 13/09/2014.

UNIPAMPA. Programa de acompanhamento ao estudante da UNIPAMPA. 2010. Disponível em: http://porteiras.r.unipampa.edu.br/portais/cap/files/2010/07/ PROGRAMA-ESTUDANTES.pdf. Acesso em: 07/09/2014

VAISTSMAN, J. Avaliação e monitoramento como instrumentos da gestão. Disponível em: http://www.mds.gov.br/saladeimprensa/boletins/boletimmds/219/ avaliacao-e-monitoramento-como-instrumentos-da-gestao.pdf/download. Acesso em: 10/09/2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Eletrônica Cosmopolita em Ação - RECA - ISSN: 2359-1420

Indexadores: