OS EFEITOS DO SANEAMETO BÁSICO PRECÁRIO PARA O AUMENTO DA ASCARIS LUMBRICOIDES

Antônia Glaucia Silva Teixeira, Fabiana Barbosa Santos, Gislene Rodrigues Santos, Maria do Rosário de Sousa Santos, Gabriela Meira Rodrigues

Resumo


Resumo

Objetivo: O estudo objetivou analisar os efeitos do saneamento básico precário na interferência para o aumento do quadro epidemiológico de uma das doenças parasitárias mais disseminadas, conhecida como Ascaridíase. Fontes dos Dados: O estudo baseia-se na revisão de literatura acerca do tema “Ascaridíase”, utilizou-se de pesquisas compreendidas entre o período de 2007 a2018, depositadas em plataformas como Scielo, Medline e Ministério da Saúde, assim como monografias de estados federais e estaduais. Síntese dos Dados: O saneamento básico é uma das medidas adotas para minimizar ou controlar os avanços das enfermidades com as doenças parasitárias, em especial ascaridíase, assim como contribuir para qualidade de vida humana. É uma patologia epidemiológica de ordem global afetando principalmente países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, sendo sinônimo de pobreza. O Ascaris lumbricoides surge em meio a essa problemática devido à facilidade de contaminação, originando-se pelo solo, água e alimentos infectados com o parasito ou pelo déficit de higienização e educação. Diagnosticada por exames coproparasitológico ou por meio da eliminação de parasitos nas fezes. Fácil de ser tratado, mas com um auto índice de reinfecção se não obtiver uma profilaxia correta. Conclusões: Observou-se, mediante o levantamento dos dados, que o déficit e a infraestrutura inadequados do saneamento básico pode contribuir efetivamente para aumentar o quadro epidemiológico da ascaridíase humana, o que contribuiu com as taxas de morbidade e mortalidade da população alvo mundialmente.

Palavras-chave: Ascaridíase; Saneamento Básico; Contaminação.

 

Abstract

Objective: This study aimed to analyze the effects of precarious basic sanitation on interference to increase the epidemiological picture of one of the most widespread parasitic diseases known as Ascariasis. Sources of Data: The study is based on a literature meeting that addresses the topic "Ascariasis," using research between 2007-2018 deposited in platforms such as Scielo, Medline and the Ministry of Health, as well as monographs of federal and state states. Data Synthesis: Basic sanitation is one of the measures adopted to minimize or control the progress of diseases with parasitic diseases, especially ascaridiasis, as well as contribute to human quality of life. It is a global epidemiological pathology affecting mainly underdeveloped and developing countries, being synonymous with poverty. Ascaris lumbricoides arises amid this problem due to the ease of contamination, originating from soil, water and food infected with the parasite or from the hygiene and education deficit. Diagnosed by coproparasitological examinations or by the elimination of parasites in feces. Easy to treat, but with a self-reinfection rate if you do not get correct prophylaxis. Conclusions: It was observed from the data collection that the inadequate deficit and infrastructure of basic sanitation can effectively contribute to increase the epidemiological picture of human ascariasis contributing to the morbidity and mortality rates of the target population worldwide.

Keywords: Ascariasis; Basic sanitation; Contamination.

 

figshare DOI: 10.6084/m9.figshare.8285435


Palavras-chave


Ascaridíase; Saneamento Básico; Contaminação

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE EC; et al. Parasitoses Intestinais: Uma revisão sobre seus aspectos sociais, epidemiológicos, clínicos e terapêuticos. Rev. APS. 2010; 13(2): 231-240.

BORJA, PC. Política Pública de Saneamento Básico: uma análise da recente experiência brasileira. Saúde Soc. 2014; 23(2): 432-447.

BRASIL. Doenças Infecciosas e Parasitarias: guia de bolso. 8 ed. ver. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. 444 p.

DOLD C; HOLLAND CV. Ascaris andAscariasis. Institut Pasteur. 2010; 13(7): 632-637.

FUNASA - FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. Manual de Saneamento. 3. ed. rev. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

GUIMARÃES, PHG. Novas Abordagens sobre a Imunobiologia da Ascaridíase Larval. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Parasitologia, Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG, 2014.

http://www.parasitologia.icb.uf mg.br/defesas/437M.PDF

GROSS AA; SILVA GK. Incidência de enteroparasitoses intestinais em uma escola infantil pública e uma escola comunitária, em um município do interior do Rio Grande do Sul. Revista Destaques Acadêmicos. 2016; 8(3): 50-57.

HILLER, L. Panorama do Saneamento Básico no Brasil: Elementos conceituais para o saneamento básico. V.1. Brasilia: Ministério das Cidades, 2011.

HOTEZ PJ; et al. Helminth infections: the great neglected tropical diseases. J Clin. Invest. 2008; 188(4): 1311- 1321.

INNOCENTE, M., OLIVEIRA, L. A., GEHRKE, C. Surto de ascaridíase intradomiciliar em região central urbana, Jacareí, SP, Brasil, junho de 2008. Bepa. 2009; 6(62): 12-16.

MINISTERIO DAS CIDADES. Política e Plano de Saneamento Ambiental: experiências e recomendações. 2 ed. Brasília, 2011. 149 p.

NASCIMENTO, YM. Estudo acerca da ocorrência de helmintos intestinais em dois municípios do estado da Paraíba. TCC em Bacharel apresentado à Coordenação do de Graduação em Farmácia, Setor de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Paraíba- UFPB, 2014. http://rei.biblioteca.ufpb.br/jsp ui/bitstream/123456789/622/1/YMN22072014.pdf

NEVES, D. P., et al. Parasitologia humana. 12.ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2011.

NUNES, VRS. O Setor de Saneamento Básico no Brasil: desafios e perspectivas. Dissertação de Graduação apresentado ao Curso de Engenharia, Universidade Federal do Rio De Janeiro - UFRJ, 2015. http://monografias.poli.ufrj.br/monografias/monopoli10014809.pdf

OLIVEIRA, JLL. Parasitoses Intestinais: O ensino como ferramenta principal na minimização destas patologias. Dissertação de Mestradoapresentado ao programa de Pós- Graduação em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente, Centro Universitário Volta Redonda- UNIFOA, 2013. http://web.unifoa. edu.br/portal_ensino/mestrado/mecsma/arquivos/2013/19.pdf

RIBEIRO JW; ROOKE JMS. Saneamento Básico e sua Relação com o Meio Ambiente e a Saúde Pública. Dissertação de Especialização apresentado ao Colegiado do Curso de Especialização em Análise Ambiental, Universidade Federal de Juiz de Fora- UFJF, 2010. http://www.ufjf.br/anali seambiental/files/2009/11/TCC-SaneamentoeSa%C3%BAde.pdf

RUBINGER, SD. Desvendando o conceito de Saneamento no Brasil: Uma analise a percepção da população e do discurso técnico contemporâneo. Dissertação de Mestrado apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos,Setor de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG, 2008. http://www.bibliotecadigital.uf mg.br/dspace/bitstream/handle/1843/ENGD-7HAK2H/528m.pdf?sequence=1

SILVA JC; et al. Parasitismo por Ascaris lumbricoides e seus aspectos epidemiológicos em crianças do Estado do Maranhão. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2011; 44(1): 100-102.

SOUZA GBF; et al. Infestação Maciça por Ascaris lumbricoides: Relato de caso. Biota Amazônia. 2014; 4(4): 101-106.

STARLING, F. A., et al. Influência do Saneamento Básico na Saúde Pública de Grandes Cidades. 2005. www.pha.poli. usp.br/LeArq.aspx?id_arq=5073. Acesso: 23/03/2017.

TEIXEIRA, J. C; et al. Estudo do impacto das deficiências de saneamento básico sobre a saúde pública no Brasil no período de 2001 a 2009. EngSanitAmbient. 2014; 19(1): 87-96.

VIDGAL, C. H. M. Analise da Influência do Saneamento Básico da Poluição do Município de Barbacena- MG. TCC de Graduação apresentado ao Colegiado do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, Universidade de Juiz de Fora- UFJF, 2015. http://www.ufjf.br/engsanitariaeambiental/files/2014/02/TFC_Carlos_Henrique_Moreira_Vidigal.pdf.

VALVERDE JG; et al. Prevalence and epidemiology of intestinal parasitism, as revealed by three distinct techniques in an endemic area in the Brazilian Amazon. Phatogens and Global Health.2011; 105(6): 413-424.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde - RBPeCS - ISSN: 2446-5577

Qualis: C


Indexadores: