PERCEPÇÃO DA MÃE QUANTO ÀS CONSEQUÊNCIAS QUE O CÂNCER DO FILHO TRAZ AO RELACIONAMENTO CONJUGAL

LEONARDO AUGUSTO COUTO FINELLI, KATIA JOSIELLE DA SILVA, MARISE RODRIGUES SANTANA

Resumo


O câncer quando acomete um indivíduo afeta também toda a sua família. Talvez, uma das maiores dificuldades experimentadas pelos pais que acompanham o tratamento oncológico de um filho seja visualizar o futuro, encontrando sentido para suas próprias vidas e para a vida conjugal. O objetivo desta pesquisa foi conhecer a percepção da mãe quanto às consequências que o diagnóstico de câncer do filho trouxe ao relacionamento conjugal. Nesse sentido, investigaram-se através de estudo de campo, qualitativo e exploratório onze mães que acompanham seus filhos em tratamento oncológico e que são assistidas em uma fundação de amparo à criança com câncer no Norte de Minas. As idades das participantes variaram entre 23 e 55 anos; 91% das famílias possuem renda de um salário mínimo, sendo este um dos motivos de serem assistidas na fundação. Quanto ao tempo de tratamento, todas iniciaram assim que receberam o diagnóstico. A descoberta mais recente foi há seis meses e a mais antiga, há 15 anos.  Conclui-se que houve afastamento físico (55%), porém, 73% das mães relataram que não houve afastamento emocional. Apesar da hipótese inicial de que haveria o afastamento emocional, os resultados dessa investigação indicaram que essas famílias desenvolveram estratégias de enfrentamento que reduziram a frequência do fenômeno.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde - RBPeCS - ISSN: 2446-5577


Indexadores: