DÉFICIT COGNITIVO: PROPOSIÇÃO DE CARTILHA PARA ATENÇÃO AO IDOSO

Patrícia Karla Bezerra, Kaline Augusta Rodrigues, Katiane Duarte Felix, Rafael da Costa Sotero, Aparecido Pimentel Ferreira

Resumo


Resumo

Introdução: dentre as formas mais comuns de perda de capacidade funcional verificada na população idosa, o déficit cognitivo chama a atenção pela dificuldade de diagnóstico e de tratamento. Os enfermeiros são profissionais de saúde com papel prioritário no apoio e suporte a essa população. Contudo, a área da enfermagem ainda é deficitária para oferecer assistência especializada aos idosos, particularmente com déficit cognitivo, sendo necessária a criação de novos instrumentos de assistência, almejando maior humanização em cuidados e permitindo a implementação de ações mais eficientes ao bem estar dessa população, garantindo um processo de envelhecimento digno dentro de suas limitações e/ou incapacidades, particularmente aos idosos comprometidos pelo déficit cognitivo. Objetivo: elaboração de uma cartilha de fácil aplicação para a atenção ao idoso com déficit cognitivo. Resultados: a presente cartilha é uma possibilidade e uma opção de alguns procedimentos importantes que devem ser atendidos em relação aos cuidados com idosos com déficit cognitivo. Conclusão: esse material não tem pretensões de ser algo definitivo, mais sim um dos primeiros a apresentar uma preocupação com os procedimentos necessários aos cuidados dispensados aos idosos com déficit cognitivo. Espera-se com isso incentivar a comunidade acadêmica a produzir material instrucional, bem como desenvolver mais estudos em relação aos cuidados e procedimentos voltados aos idosos com déficit cognitivo.

Palavras-chave: Déficit Cognitivo; Idosos; Cuidados.

 

Abstract

Introduction: among the most common forms of loss of functional capacity observed in the elderly, cognitive deficit calls attention to the difficulty of diagnosis and treatment. Nurses are health professionals with priority role in the support and support for this population. However, the nursing field is poor to provide expert assistance to the elderly, particularly cognitive impairment, necessitating the creation of new assistance instruments, aiming at greater humanization of care and enabling the implementation of more efficient actions to the well being of this population, guaranteeing a dignified aging process within their limitations and / or disabilities, particularly the elderly committed by cognitive impairment. Objective: developing a primer for easy application to the elderly with cognitive impairment. Results: This booklet is a possibility and an option of some important procedures that must be met in relation to the care of older people with cognitive impairment. Conclusion: this material has no pretensions to be anything definitive, but more one of the first to present a concern with the procedures necessary for the care provided to the elderly with cognitive impairment. It is hoped that encourage the academic community to produce instructional material as well as developing more research regarding the care and procedures geared to older adults with cognitive impairment. Keywords: Cognitive deficit; Elderly; Care.

 

 figshare DOI: 10.6084/m9.figshare.9788618


Palavras-chave


Déficit cognitivo; idosos; cuidados

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES LC; LEITE IC; MACHADO CJ. Conceituando e mensurando a incapacidade funcional da população idosa: uma revisão de literatura. Ciênc. Saúde coletiva. 2008; 13(4): 1199-1207.

ANTUNES HKM; SANTOS RF; CASSILHAS R; SANTOS RVT; BUENO OFA; MELLO MT. Exercício físico e função cognitiva: uma revisão. Rev Bras Med Esporte. 2006; 12(2).

ARAÚJO CL; OLIVEIRA NJS. Uma revisão bibliográfica das principais demências que acometem a população brasileira. Revista Kairós Gerontologia. 2010; 13(1): 231-244.

BORGES MMMC; TELLES JL. O cuidado do idoso no contexto familiar: percepção da equipe de saúde da família. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 2010; 13 (3): 349-360.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional para a Saúde das Pessoas Idosas. Brasília. 2010.

Brucki SM; Nitrini R; Caramelli P; Bertolucci PH; Okamoto IH. Sugestões para o uso do mini-exame do estado mental no Brasil. Arq Neuropsiquiatr, 2003; 61(3B), 777-81.

CARAMELLIA P; BARBOSA MT. Como diagnosticar as quatro causas mais freqüentes de demência? Rev Bras Psiquiatr. 2002; 24(Supl I): 7-10.

CONCEIÇÃO LFS. Saúde do idoso: orientações ao cuidador do idoso acamado. Rev Med Minas Gerais. 2010; 20(1): 81-91.

DUARTE, YAO. Manual dos formadores de cuidadores de pessoas idosas; [coordenação geral Áurea Eleotério. Soares Barroso]. -- São Paulo: Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social: Fundação Padre Anchieta, 2009.

FIGUEIREDO NMA; TONINI T. Gerontologia: atuação da enfermagem no processo do envelhecimento. São Caetano do sul, SP: Yendis Editora, 2006. 1° edição.

FREITAS MC; QUEIROZ TA; SOUSA JAV. O significado da velhice e da experiência de envelhecer para os idosos. Rev Esc Enferm. 2010; 44(2): 407-412.

GIL G; BUSSE AL. Avaliação neuropsicológica e o diagnóstico de demência, comprometimento cognitivo leve e queixa de memória relacionada à idade. Arq Med Hosp Fac Cienc Med Santa Casa São Paulo. 2009; 54(2): 44-50.

HANNA KMA; SANTOS RF; CASSILHAS R; SANTOS RVT; BUENO OFA; MELLO MT. Exercício físico e função cognitiva: uma revisão. Rev Bras de Med Esporte. 2006; 12(2): 108-114.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma analise das condições de vida da população brasileira. 2010.

LEITE MT; HILDEBRANDT LM; KIRCHNER RM; WINCK MT; SILVA LAAS; FRANCO GP. Estado cognitivo e condições de saúde de idosos que participam de grupos de convivência. Rev. Gaúcha Enfermagem. 2012; 33(4): 64-71.

LOURENÇO, TM. Capacidade funcional do idoso longevo em unidades de internação hospitalar na cidade de Curitiba -PR. Dissertação de Mestrado apresentada no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Setor de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Paraná - UFPR, 2011. http://www.ppgenf.ufpr.br/DISSERTACAOTANIALOUREN%C3%87O.pdf.

LUZARDO AR; GORINI MIPC; SILVA APSS. Características de idosos com doença de Alzheimer e seus cuidadores: uma série de casos em um serviço de neurogeriatria. Texto contexto – enferm. 2006; 15(4): 587-594.

MACHADO JC; RIBEIRO RCL; COTTA RMM; LEAL PFG. Declínio Cognitivo de Idosos e sua Associação com Fatores Epidemiológicos em Viçosa, Minas Gerais. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. 2011; 14(1): 109-121.

MACIEL ACC; GUERRA RO. Limitação funcional e sobrevida em idosos de comunidade. Rev Assoc Med Bras. 2008; 54(4): 347-352.

MEIRELES VC; MATSUDA LM; COIMBRA JAH; MATHIAS TAF. Características dos idosos em área de abrangência do Programa Saúde da Família na região noroeste do Paraná: contribuições para a gestão do cuidado em enfermagem. Saúde e sociedade. 2007; 16(1): 69-80.

MORAES EN; MARINO MCA; SANTOS RR. Principais síndromes geriátricas. Rev Med Minas Gerais. 2010; 20(1): 54-66.

MORAES EN; MORAES FL; LIMA SPP. Características biológicas e psicológicas do envelhecimento. Rev Med Minas Gerais. 2010; 20(1): 67-73.

OLIVEIRA DLC; GORETTI LC; PEREIRA LSM. O desempenho de idosos institucionalizados com alterações cognitivas em atividades de vida diária e mobilidade: estudo piloto. Revista brasileira de fisioterapia. 2006; 10(1): 91-96.

OLIVEIRA SFD; DUARTE YAO; LEBRÃO ML; LAURENTI R. Demanda referida e auxílio recebido por idosos com declínio cognitivo no município de São Paulo. Rev Saude soc. 2007; 16(1): 81-89.

PESTANA LC; CALDAS CP. Cuidados de enfermagem ao idoso com Demência que apresenta sintomas comportamentais. Rev. bras. Enferm. 2009; 62(4): 583-587.

PINTO ALF. Memória: um desafio à autonomia do idoso. Fam. Saúde Desenv. 2006; 1(1): 39-48.

RICCI NA; KUBOTA MT; CORDEIRO RC. Concordância de observações sobre a capacidade funcional de idosos em assistência domiciliar. Revista saúde pública. 2005; 39(4): 655-662.

SANTANA RF; FIGUEIREDO NMA; FERREIRA MA; ALVIM NAT. A formação da mensagem na comunicação entre cuidadores e idosos com demência. Texto contexto - enferm. 2008; 17 (2): 288-296.

SANTANA RF; SANTOS I; CALDAS CP. Cuidando de idosos com Dêmencia:um estudo a partir da prática ambulatorial de enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem. 2005; 58(1): 44-48.

SANTOS SSC; BARLEM ELD; SILVA BT; CESTARI ME; LUNARDI. Promoção da saúde da pessoa idosa: compromisso da enfermagem gerontogeriátrica. Acta paulista de enfermagem. 2008; 21(4): 649-653.

SANTOS SSC. Concepções teórico-filosóficas sobre envelhecimento, velhice, idoso e enfermagem gerontogeriátrica. Revista Brasileira de Enfermagem. 2010; 63(6): 1035-1039.

SKA B; FONSECA RP; SCHERER LC; OLIVEIRA CR; PARENTE MAMP; JOANETTE Y. Mudanças no processamento cognitivo em adultos idosos: déficits ou estratégias adaptativas?. Estud interdicip envelhec. 2009; 14(1): 13-24.

SOUZA JN; CHAVES EC. O efeito do exercício de estimulação da memória em idosos saudáveis. Rev Esc Enferm USP 2005; 39 (1): 13-19.

SOUZA PA; SANTANA RF; SÁ SPC; ROBERS LMV. Oficinas de estimulação cognitiva para idosos com demência: uma estratégia de cuidado na enfermagem gerontológica. RBCEH Passo Fundo. 2009; 6 (3): 362-372.

TIER CG; FONTANA RT; SOARES NV. Refletindo sobre idosos institucionalizados. Revista Brasileira Enfermagem. 2004; 57(3): 332-335.

WANNMACHER L. Demência: evidências contemporâneas sobre a eficácia dos tratamentos. 2005; 4 (2).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde - RBPeCS - ISSN: 2446-5577


Indexadores: