PAPEL DO ENFERMEIRO NA PREVENÇÃO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA EM IDOSOS

Leonardo Moreira Rabelo, Krislayne Veras Alexandre, Maria Socorro Celestino, Jaqueline Ferreira Cangirana, Ludmylla Keylla Andrade Albuquerque, Silvia Maria Lima Pereira Soares, Josivan Souza Costa

Resumo


RESUMO

Objetivo: Desta forma, a finalidade desse estudo é descrever o papel do enfermeiro na prevenção da HAS. Além de conceituar essa doença e descrever o processo de enfermagem relacionado a essa enfermidade. Fonte de dados: Foi realizada uma revisão bibliográfica, no qual houve uma busca nos bancos de dados Scielo, PubMed, Google Acadêmico e o Ministério da Saúde relacionada à temática abordada. Para a realização deste trabalho, foram usadas 23 fontes, publicadas entre 1991 a 2019, em língua portuguesa e inglesa. Foram incluídos estudos que concordassem com o tema e informações disponibilizadas pelo ministério da saúde, e excluídos os que fugissem do assunto proposto. Síntese de dados: A hipertensão é uma doença crônica que tem por característica a Pressão Arterial (PA) com valores iguais ou superiores a 140 mmHg de sistólica e 90 mmHg de diastólica. O envelhecimento torna favorável o aparecimento da HAS; diante disso, o enfermeiro, como parte da equipe multiprofissional, exerce o cuidado avaliando e empregando as normas e orientações disponibilizadas pelo governo e profissionais para melhorar o cuidado. Esses profissionais devem possuir o conhecimento necessário para reconhecer os riscos que predispõem o acometimento pela HAS, além de pôr em práticas ações que visem a prevenção dessa doença. Conclusão: O enfermeiro é fundamental na prevenção da HAS, já que este profissional, a partir de seu trabalho de promoção e prevenção, possibilita a diminuição das ocorrências de doenças, como a hipertensão.

Palavras-Chave: hipertensão; idoso; saúde, enfermeiro.

 

ABSTRACT

Objective: Thus, such a study describes the role of nurses in the prevention of hypertension. In addition to conceptualizing this disease and describing the nursing process related to this disease. Data source: A bibliographic review was carried out, in which a search was made in the Scielo, PubMed, Academic and Ministry of Health databases related to the subject matter. For the accomplishment of this work 23 sources were used, published between 1991 and 2019, in Portuguese and English. Included were studies that agreed with the topic and information provided by the Ministry of Health and excluded those who escaped the proposed subject. Data synthesis: Hypertension is a chronic disease characterized by Arterial Pressure (AP) with values equal to or greater than 140 mmHg of systolic and 90 mmHg of diastolic. Aging favors the emergence of HAS. The nurse, as part of the multi-professional team, exercises care by evaluating and employing the norms and guidelines provided by the government and professionals to improve care. These professionals must have the necessary knowledge to recognize the risks that predispose or affect the hypertension and put in practical practices that aim to prevent this disease. Conclusion: The nurse is fundamental in the prevention of hypertension, since this professional, based on his work of promotion and prevention, allows the reduction of occurrences of diseases, such as hypertension.

Keywords: hypertension; elderly; health, nurse.

 

Figshare DOI: 10.6084/m9.figshare.11874123


Palavras-chave


hipertensão; idoso; saúde, enfermeiro.

Texto completo:

PDF

Referências


Miranda GMD, Mendes ACG, Silva ALA. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2016 maio/jun; 19(3):507-519.

Dias JRP, Andrade RL, Fernandes ACM, Laurindo BM, Fonseca ERS. Análise do perfil clínico-epidemiológico dos idosos portadores de hipertensão arterial sistêmica nas microáreas 4, 6 e 7 da USF tenoné. Braz. J. Hea. Rev., 2019 jan/fev; 2(1):2-41.

Silva JLL, Souza SL. Fatores de risco para hipertensão arterial sistêmica versus estilo de vida docente. Revista Eletrônica de Enfermagem, Goiânia, 2004 dez;6(3):330-5.

Amaral JAD. O cuidar de pessoas idosas hospitalizadas por diabetes mellitus e hipertensão arterial sistêmica [dissertação]. Campina Grande: Universidade Estadual da Paraíba; 2017.

Tavares DMS, Guimarães MO, Ferreira PCS, Dias FA, Rodrigues LR. Qualidade de vida e adesão ao tratamento farmacológico entre idosos hipertensos. Rev. Bras. Enferm, Brasília, 2016 jan/fev;69(1):134-41.

Andrade AO, Aguiar MIF, Almeida PC, Chaves ES, Araújo NVSS, Neto JBF. Prevalência da hipertensão arterial e fatores associados em idosos. Rev. Bras. Promoç. Saúde, Fortaleza, 2014 jul/set;27(3):303-11.

Mattioni FC. A consulta de enfermagem como instrumento de cuidado ao usuário portador de hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus tipo 2 [dissertação]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2014.

Lakatos EM, Marconi MA. Fundamentos de metodologia cientifica. 3.ed. São Paulo: Atlas; 1991.

Sociedade brasileira de cardiologia / sociedade brasileira de hipertensão / sociedade brasileira de nefrologia. VI Diretrizes brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol., 2010;95(1):1-51.

Cenatti JL. Caracterização de usuários hipertensos de uma unidade básica de saúde da família. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, 2013;2(1):21-1.

Borim FSA, Guariento ME, Almeida EA. Perfil de adultos e idosos hipertensos em unidade básica de saúde. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, São Paulo, 2011 mar/abr;9(2):107-11.

Freitas JGA, Nielson SEO, Porto CC. Adesão ao tratamento farmacológico em idosos hipertensos: uma revisão integrativa da literatura. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, 2015 jan/mar;13(1):75-84.

Brasil. Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento. [site na internet]. 2010. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_saude_pessoa_idosa_envelhecimento_v12.pdf. Acesso: 19/03/2019.

Brasil. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Chobanian AV, Bakris GL, Black HR, Cushman WC, Green LA, Izzo jr JL et al. The seventh report of the joint national committee on prevention, detection, evaluation and treatment of high blood pressure: the JNC 7 report. Journal of the American Medical Association, 2003 dez;289(19):2560-72.

Mendes FA, Silva MP, Ferreira CRS. Diagnósticos de enfermagem em portadores de hipertensão arterial na atenção primária. Estação Científica UNIFAP, 2018 jan/abr;8(1):91-01.

Cardoso EM. Melhoria da Atenção à Saúde dos diabéticos e hipertensos da UBS SANSCA-Pelotas / RS [dissertação]. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas – UFPEL / Sistema Universidade Aberta do SUS – UNASUS; 2015.

Santos RJLL, Sousa EP, Rodrigues GMM, Alexandre KV, Rabelo LM, Quaresma PC. Hipertensão arterial sistêmica em crianças e adolescentes - causas e profilaxias. Braz. J. Hea. Rev., 2019 mar/abr;2(2):1063-9.

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN-358/2009. [site na internet]. 2009. http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html. Acesso: 04/05/2019.

Arruda DC, Silva DVG, Magalhães GS, Mesquita VA, Magalhães AO. Aplicação da primeira e segunda etapa do processo de enfermagem na prática externa. In: XII Mostra Científica do Curso de Enfermagem. Várzea Grande: 2018.

O'brien E, Asmar R, Beilin L, Imai Y, Mancia G.; Mengden T et al. Practice guidelines of the European Society of Hypertension for clinic, ambulatory and self blood pressure measurement. Journal of Hypertension, 2005 abr;23(4):697–01.

Nanda-I. Diagnósticos de enfermagem da NANDA-I: definições e classificação 2018-2020. 11. ed. Porto Alegre: Artmed; 2018.

Codogno L, Toledo VP, Duran ÉCM. Consulta de enfermagem e hipertensão arterial na estratégia saúde da família: proposta de instrumento. Rev. Rene, 2011;12:1059-65.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde - RBPeCS - ISSN: 2446-5577


Indexadores: