ASCARIS LUMBRICOIDES, QUAIS OS DANOS CAUSADOS POR ESSA ENFERMIDADE NAS CRIANÇAS?

Elane Pereira Silva, Jéssica Mendes Silva, Mariane Carneiro Nascimento, Elisângela Andrade Aoyama, Leonardo Moreira Rabelo, Krislayne Veras Alexandre, Gabriela Meira de Moura Rodrigues

Resumo


RESUMO

Objetivo: Explicar os prejuízos causados pela A. lumbricoides nas crianças. Fonte de dados: O presente estudo foi realizado por meio de uma revisão bibliográfica. Foram realizadas buscas nas plataformas Scielo, Google Acadêmico, PubMed, Lilacs e Ministério da Saúde. Foram utilizadas 30 fontes, publicadas entre 2000 a 2019. Os critérios de inclusão são: incluir dados sobre os danos causados pela Ascaris nas crianças; fontes que abordassem a parasitose estudada e dados que estivessem em concordância com os objetivos propostos. Já os critérios de exclusão são: informações que não possuíssem afinidade com o assunto abordado e fossem anteriores a 2000. Síntese de dados: As enfermidades parasitárias estão relacionadas ao desenvolvimento socioeconômico e são um frequente problema de saúde pública em diversos países, principalmente nos subdesenvolvidos e em desenvolvimento. Ascaridíase, conhecida popularmente como lombriga, é uma doença causada pelo parasita Ascaris lumbricoides. Esta doença é um dos principais fatores debilitantes da população, associando-se a quadros de diarreia e desnutrição, comprometendo como consequência o desenvolvimento físico e intelectual, especialmente das crianças. Conclusão: A Ascaris é um sério problema de saúde, principalmente em regiões que apresentam condições de saneamento básico deficitárias. Assim, torna-se importante a atuação do enfermeiro, educando e promovendo saúde, realizando ações de prevenção, para que desta forma seja possível evitar à infecção e suas possíveis consequências.

Palavras-Chave: Ascaridíase; Criança; Enfermagem; Transmissão; Prevenção & Controle.

 

ABSTRACT

Objective: To explain the damage caused by A. lumbricoides in children. Data source: The present study was conducted through a bibliographic review. With data search in the Scielo, Google Scholar, PubMed, Lilacs and Ministry of Health platforms. 30 sources were used, published between 2000 and 2019. The inclusion criteria are: include data on the damage caused by Ascaris to children; sources that approach the studied parasitosis and data that were in agreement with the proposed objectives. The exclusion criteria are: information that had no affinity with the subject covered and were prior to 2000. Data synthesis Parasitic diseases are related to socioeconomic development and are a frequent public health problem in many countries, especially underdeveloped and developing countries. Ascariasis, popularly known as roundworm, is a disease caused by the parasite Ascaris lumbricoides. This disease is one of the main debilitating factors in the population, being associated with diarrhea and malnutrition, thus compromising the physical and intellectual development, especially of children. Conclusion: Ascaris is a serious health problem, especially in regions with poor sanitation. Thus, it is important the nurse's action, educating and promoting health, realizing prevention actions, so that it is possible to avoid infection and its possible consequences.Keywords: Ascaridiasis; Child; Nursing; Transmission; Prevention & Control. FigShare DOI: 10.6084/m9.figshare.11197220

Palavras-chave


Ascaridíase; Criança; Enfermagem; Transmissão; Prevenção & Controle.

Texto completo:

PDF

Referências


(1). Moraes HQS. Parasitoses Intestinais em crianças – um projeto de intervenção para o bairro do cruzeiro no município de São Sebastião – Alagoas [dissertação]. Maceió: Universidade Federal de Minas Gerais; 2016.

(2). Carvalho NEDS, Gomes NP. Prevalência de enteroparasitoses em crianças na faixa etária de 6 a 12 anos na escola pública Melvin Jones em Teresina-PI. R. Interd. 2014 out/dez; 6(4):95-101.

(3). Brasil. Guia Prático para o Controle das Geo-helmintíases. Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

(4). Teixeira AGS, Santos FB, Santos GR, Santos MRS, Rodrigues GMM. Os efeitos do saneamento básico precário para o aumento da Ascaris lumbricoides. RPBeCS. 2018; 5(10):34-40.

(5). Leyva LL. Prevalência de doenças infectoparasitárias no PSF zita godinho no município Santa Maria do Suaçui-mg [dissertação]. Governador Valadares: Universidade Federal de Minas Gerais; 2017.

(6). Scott ME. Ascaris lumbricoides: a review ofits epidemiology and relationship to other infections. Annales Nestlé. 2008; 66:7-22.

(7). Khuroo MS, Rather AA, Khuroo NS Khuroo MS. Hepatobiliary and pancreatic ascaridiasis. World Journal of Gastroenterology. 2016; 22:7507-17.

(8). Neves DP. Parasitologia humana. 13.ed. São Paulo: Artheneu; 2016.

(9). Jourdan PM, Lamberton PH, Fenwick A. Addiss DG. Soil-transmitted helminth infections. Lancet. 2017; 391:252-65.

(10). Parija S, Chidambaram M, Mandal J. Epidemiology and clinical features of soil-transmitted helminths. Tropical Parasitology. 2017; 7:81-5.

(11). Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 5.ed. São Paulo: Atlas; 2010.

(12). Soares AL, Neves EAO, Souza IFAC. A importância da educação sanitária no controle e prevenção ao Ascaris lumbricoides na infância. Ciências Biológicas e de Saúde Unit. 2018 jul; 3(3):23-32.

(13). Santos TV, Santos RCM, Martins VHS, Martins SA, Bezerra NC. Prevalência e aspectos epidemiológicos de enteroparasitoses em crianças no Brasil. Res. Soc. Dev. 2019; 8(6).

(14). Rosa JD. Prevalência de enteroparasitoses e ações educativas em escolares do município de Santo Amaro da Imperatriz – SC, Brasil [dissertação]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2015.

(15). Antunes AS, Libardoni KSB. Prevalência de enteroparasitoses em crianças de creches do município de Santo Ângelo, RS. Editora Unijuí – Revista Contexto & Saúde. 2017; 17(32):144-56.

(16). Vaz ACRL. Aspectos imunológicos na infecção por Ascaris lumbricoides [dissertação]. Almada: Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz; 2014.

(17). Góes GC. Frequência de enteroparasitos em crianças matriculadas em creches públicas da região das praias da baía do município de Niterói/RJ: investigação por métodos coproparasitológicos e imunológicos [dissertação]. Niterói: Universidade Federal Fluminense; 2017.

(18). Iasbik AF, Pinto PSA, Peixoto RPMG, Santos TO, Fernandes FM, Silva LF, et al. Prevalence and transmission of intestinal parasitosis in human beings from Zona da Mata, Minas Gerais, Brazil. Bioscience Journal, 2018 maio/jun; 34(3).

(19). Brandão RC, Silva MR; Sousa GKL; Castro WM; Pinto ACMD. Áscaris lumbricoides e a hipótese higiênica. Mostra Interdisciplinar do Curso de Enfermagem. 2018; 4(1).

(20). Bethony JR, Brooker S, Albonico M, Geiger SM, Loukas A, Diemert D, et al. Soil-transmitted helminth infections: ascariasis, trichuriasis, and hookworm. Lancet. 2006; 367:1521-32, 2006.

(21). Echazú A, Bonanno D, Juarez M, Cajal SP, Heredia V, Caropresi S, et al. Effect of poor access to water and sanitation as risk factors for soil-transmitted helminth infection: selectiveness by the infective route. PLoS Neglected Tropical Diseases. 2015; 9.

(22). Claus P, Ceuppens A, Cool M, Alliet G. Ascaris lumbricoides: challenges in diagnosis, treatment and prevention strategies in a European refugee camp. Acta Clinica Belgica. 2018; 19:1-4.

(23). Sá MAJ. Educação em saúde: prevenção da diarreia aguda em crianças menores de 2 anos na ESF Geraldo Garcia 1 em Ponta Porã/MS [dissertação]. Campo Grande: Universidade Federal do Mato Grosso do Sul; 2014.

(24). Hall A, Holland C. Geographical variation in Ascaris lumbricoides fecundity and its implications for helminth control. Parasitology Today. 2000; 16:540-4.

(25). Espíndola CMDO. Avaliação epidemiológica das parasitoses intestinais no Parque Oswaldo Cruz, Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ [dissertação]. Rio de Janeiro: Instituto Oswaldo Cruz; 2014.

(26). Abreu ES, Andrade MBL, Machado Á, Persoli LBL. Análise da qualidade parasitológica de alfaces orgânicas vendidas em uma rede de supermercados da cidade de São Paulo. Revista da Universidade Vale do Rio Verde. 2016; 14(2):516-21.

(27). Cooper AJ, Hollingsworth TD. The impact of seasonality on the dynamics and control of Ascaris lumbricoides infections. Journal Of Theoretical Biology. 2018 set; 453: 96-107.

(28). Nascimento ÍS, Alves MAL. Picamalácia infantil: um estudo de caso. Nutrição Brasil. 2018; 17(3):178-82.

(29). Miranda SVC. Atuação dos profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF) frente às principais parasitoses intestinais [dissertação]. Corinto: Universidade Federal de Minas Gerais; 2013.

(30). Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (COREN-GO). Protocolo de Enfermagem na Atenção Primária à Saúde no Estado de Goiás. 3.ed. Goiânia: Conselho Regional de Enfermagem de Goiás; 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

Revista Brasileira de Pesquisa em Ciências da Saúde - RBPeCS - ISSN: 2446-5577


Indexadores: