CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

Andréa Sousa da Cunha Fernandes, Marcelo de Jesus Rodrigues da Nóbrega

Resumo


Nos dias atuais há uma preocupação com a durabilidade das edificações em um conjunto de requisitos nas etapas de projeto, execução e manutenção. Neste aspecto, o fator que tem sido tratado com frequência é a durabilidade das armaduras frente aos mecanismos de deterioração mais comuns como a corrosão. A corrosão influi na vida útil das estruturas como o período de tempo que uma estrutura que fora projetada e construída tenha seu desempenho efetivo diminuído a ponto da estrutura falhar. Este trabalho discute os principias tipos e mecanismos de corrosão, em aço carbono, bem como seus respectivos controles. Além do mais, no estudo foram apresentados alguns exemplos de corrosão em armadura de concreto em aço carbono e em aço inoxidável austenítico, identificando os problemas de integridade estrutural em diferentes regiões do pais. Sendo assim, conclui-se que o conhecimento das condições de exposição e a atuação dos agentes corrosivos podem facilitar a elaboração de medidas de proteção das estruturas contra a corrosão e, também, o planejamento das atividades de manutenção em estruturas.


Texto completo:

PDF

Referências


AÇOBRASIL, http://www.acobrasil.org.br/site2015/noticia_interna.asp?id=14343, Acesso em: 01 Dez. 2018.

ARAUJO, A.; MOREIRA, A.R.; PANOSSIAN, Z. Extensão da Vida Útil das Estruturas de Concreto com uso de Armaduras de Aço-carbono Revestidas ou de Aço Inoxidável. INTERCORR 2014, Fortaleza – CE, 2014.

ARMINOX. Research and Development. 1999. Disponível em: http://www.arminox.com/Files/Filer/Arminox%20doks/Arminox_Progreso_Inspec_Report_web.pdf. Acesso em: 02/11/2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. NBR 6118: Projeto de estruturas de concreto — Procedimento. Rio de Janeiro, 2014.

—. NBR 8800: Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios. Rio de Janeiro, 2008.

—. NBR 12655: Concreto de cimento Portland - Preparo, controle, recebimento e aceitação - Procedimento. Rio de Janeiro, 2015.

—. NBR 15575-1: Edificações habitacionais — Desempenho Parte 1: Requisitos gerais. Rio de Janeiro, 2013.

CAVALCANTI, A. N.; CAVALCANTI, G. A. D. Inspeção técnica do píer de atracação de Tambaú. Revista Concreto, n. 57, pg. 45-57, 2010.

CHIAVERINI, V. AÇOS E FERROS FUNDIDOS. EDITORA ABM. 7ª EDIÇÃO. 1996.

CIMM – Centro de Informação Metal Mecânica. Disponível em: http://www.cimm.com.br/portal/material_didatico/6334#.VdTJSflVikp. Acesso em: 01 Dez. 2018.

FELIX, E.F.; BALABUCH, T.J.R.; POSTERLLI, M.C.; POSSAN, E.; CARRAZEDO, R. Análise da vida útil de estruturas de concreto armado sob corrosão uniforme por meio de um modelo com RNA acoplado ao MEF. Revista ALCONPAT, 2018.

GEMELLI, E. Corrosão de Materiais Metálicos e sua Caracterização, 1ª ed., LTC: Rio de Janeiro, 2001.

GENTIL, V. Corrosão. 5ª ed., LTC: Rio de Janeiro, 2007.

MEDEIROS, M.H.F.; ANDRADE, J.J.O.; HELENE, P. Durabilidade e Vida Útil das Estruturas de Concreto. Concreto: Ciência e Tecnologia. IBRACON, 2011.

MELLO, U.A.; SCHNEIDER, J.; SOUZA, F.R.; GODINHO, L.L.; BARBEITO, T.T. Recuperação Estrutural do Elevado do Joá. X SEMINÁRIO DOCOMOMO BRASIL. Curitiba. 15 - 18. out. 2013. Disponível em: http://docomomo.org.br/wp-content/uploads/2016/08/EST_01.pdf. Acesso em: 01/11/2018.

RAMALHO, D.; CARPES, G. UFRJ e prefeitura chegam a acordo sobre reforma de elevado. 2013. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/brasil/transito/ufrj-e-prefeitura-chegam-a-acordo-sobre-reforma-de-elevado,5678f4f0496ac310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html. Acesso em: 01/11/2018.

RIBEIRO, D. V.; SALES, A.; SOUSA, C.A.C.; ALMEIDA, F. C.R.; CUNHA, M.P.T.; LOURENÇO, M.Z.; HELENE, P. Corrosão em Estruturas de Concreto Armado: Teoria, Controle e Métodos de Análise. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

SANTOS, G.E. Um Estudo sobre as Condições de Contorno, Soluções Contrutivas e Impactos Gerados pelas Obras de Construção do Antigo e do Novo Elevado do Joá - Rio de Janeiro/RJ. Projeto de Graduação do Curso de Engenharia Civil da Escola Politécnica, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Dezembro de 2017. Disponível em: http://monografias.poli.ufrj.br/monografias/monopoli10024007.pdf. Acesso em: 02/11/2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.