ANÁLISE CONCEITUAL DO TENSIONADOR DO PLSV PARA INSTALAÇÃO DE CONECTORES SUBMARINOS: MÓDULO DE CONEXÃO VERTICAL (MCV) E UMBILICAL TERMINATION ASSEMBLY (UTA)

Gabriela Batista SILVA, Luciana Pinto TEIXEIRA

Resumo


Um ponto relevante na atividade de exploração e produção (E&P) é o sistema de equipamentos submarinos e o encadeamento entre eles através dos conectores Módulo de Conexão Vertical (MCV) e Umbilical Termination Assembly (UTA). A embarcação de suporte, a Pipe Laying Support Vessel (PLSV), é uma embarcação altamente especializada, usada para fazer a instalação desses conectores junto com o umbilical. Contudo, a escolha dessa embarcação depende da carga que o sistema formado pelo conector, umbilical e acessórios exige do tensionador presente na embarcação e das exigências de instalação. Para tanto, o presente estudo tem o objetivo de descrever as características de instalação dos conectores MCV e UTA e seus impactos no estudo de viabilidade da embarcação PLSV, para a correta instalação. A metodologia destacou as exigências técnicas para a escolha e instalação dos conectores, tendo em vista a busca pela máxima eficiência de projeto. Como resultado foram levantados aspectos a respeito do estudo de viabilidade da instalação dos conectores submarinos, sinalizando a influência dessa escolha na embarcação a ser utilizada. Através das equações presentes na literatura técnica pode-se demonstrar que há interferência na tensão máxima de lançamento vertical em função do conjunto de equipamentos (umbilical, conector e acessórios) a serem instalados.


Texto completo:

PDF

Referências


API. American Petroleum Institute. API RP 17B. Recommended Practice for Flexible Pipe, 2nd ed., Washington, American Petroleum Institute. 2014. Disponível: . Acesso em: 28 abril 2019.

API. American Petroleum Institute. API TR 9. Subsea Umbilical Termination (SUT) Selection and sizing recommendation, 1st ed., Washington, American Petroleum Institute. 2015.

BAI, Y.; BAI, Q. Subsea Pipelines And Risers. Oxford, UK: [s.n.], 2005.

BICUDO, R. G, P, Análise de instalação linhas flexíveis. Dissertação de mestrado, UFRJ/COPPE, Rio de Janeiro, 2009.

BMP ENGINEERING. BMP Engineering. Disponível em: . Acesso em: 11 junho 2018.

COSTA, S.P.H. Pedro, Análise da conexão vertical direta na instalação de linhas flexíveis e umbilicais. Projeto de graduação. UFRJ, Rio de Janeiro, 2015.

DA SILVA, A.P. Análise da Influência da Temperatura na Rigidez à Flexão de Linhas Flexíveis. Monografia de graduação. Engenharia Naval e Oceânica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 2006.

ELEND CABLE. Disponível em: . Acesso em: 01 março 2019.

FERREIRA, D. P. As principais operações das embarcações PLSV. Monografia. Curso de Aperfeiçoamento para Oficiais de Náutica (APNT). Centro de Instrução Almirante Graça Aranha. Marinha do Brasil. Rio de Janeiro. 2013

HYDROACOUSTIC INC. Disponível em: < http://www.hydroacousticsinc.com/products/oil-recovery-tool.html>. Acesso em: 25 maio 2019.

LOPES, V. S. Influencia da Rigidez à Flexão de Duto Flexível na Instalação de Módulos de Conexão Vertical em Águas Profundas. Tese.Curso Engenharia Oceânica. COPPE/UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2005.

MALCORPS, A., FELIX-HENRY, A.Validations of a computer model for flexible pipe crushing resistance calculations. In: Proceedings of the OMAE2008 Conference, 57381, Estoril, Jun. 2008

MARINHO, I P. Lançamento de dutos flexíveis em águas profundas. Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Aperfeiçoamento para Oficiais de Náutica. Departamento de ensino de náutica. Centro de Instrução Almirante Graça Aranha. Marinha do Brasil. Rio de Janeiro. 2014.

OCEANEERING. Disponível em: . Acesso em: 02 abril 2019.

PETROBRAS. Fatos e Dados. Disponível: . Acesso em: 15 março 2019.

PIMENTEL, J. C., Alteração da Topologia de REDE CONTROLNETTM PARA ETHERNET/IPTM para a Estação de Controle Mestre de um Sistema de Produção Submarino. Dissertação de Mestrado. Automação Industrial. Universidade Federal do Paraná, Curitiba - PR, Brasil, 2013.

REBELLO, G. A. P, Análise de módulo de conexão vertical para compressor para operação em águas ultra profundas. Projeto de graduação, UFRJ, Rio de Janeiro, 2015.

RODRIGUES, M. S, W. Simulação numérica do procedimento de instalação de riser flexível conectado a um módulo de conexão vertical através de modelos truncados. Dissertação de mestrado, UFRJ/COPPE, Rio de Janeiro, 2017.

SCHIMIDT, T. Felippe, Instalação de linhas flexíveis e umbilicais: Testes de condicionamento e falhas operacionais. Dissertação. UFF, Niterói, RJ, Brasil, 2016.

SILVA, P. T. C. Estudo de alternativas de arranjos submarinos de produção com o uso de manifolds e bombas multifásicas: otimização da vazão e análise financeira. Projeto de Graduação. Curso de Engenharia de Petróleo. Escola Politécnica. Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2015

TAVARES, José C. V.; CABELINO, Karina; QUINTAES, Marcelo e BARAÚNA, Leonardo. Apostila baseada em estudos realizados por risers. UNIVEM, 2008. Disponível em:

TECHNIP. Disponível em: < http://www.technip.com/entities/brazil/index.htm>. Acesso em: 09 janeiro 2019.

THORLEY, D.F. Rubia, Estudo de Operações de lançamento vertical de equipamentos submarinos. Dissertação de mestrado, UFRJ, Rio de Janeiro, 2015.

TRELLEBORG. Bend Stiffener. Product sheets and case studies. Seismic. 2018. Disponível em: . Acesso: 10/06/2019


Apontamentos

  • Não há apontamentos.